Buscar
  • Alberto Silva Neto

CARAVANA FLUVIAL VAI LEVAR TEATRO A ONZE CIDADES RIBEIRINHAS DO PARÁ


A ação Mambembarca – O teatro vai de proa pelos rios do Pará é uma realização do grupo paraense USINA que durante 55 dias subirá o rio Amazonas de Belém a Santarém levando gratuitamente quatro espetáculos e seis oficinas diferentes para artistas da cena

No período de 03 de julho a 27 de agosto de 2019, onze cidades paraenses banhadas pelo rio Amazonas vão receber uma enxurrada de ações artísticas e pedagógicas na área das artes cênicas. O projeto Mambembarca – O teatro vai de proa pelos rios do Pará vai zarpar da capital Belém para aportar em Cachoeira do Arari, Ponta de Pedras, Muaná, Curralinho, Breves, Gurupá, Monte Alegre, Óbidos e Alenquer até chegar a Santarém, no oeste do Estado.

Durante três dias, cada uma dessas cidades irá receber gratuitamente a trilogia de temática amazônica do grupo USINA composta pelos espetáculos Parésqui (2006), Solo de Marajó (2009) e Pachiculimba (2017), além da montagem paulista Dezuó - Breviário das águas, do Núcleo Macabéa, que completa a programação como espetáculo convidado. Paralelamente, todos os artistas de ambas os coletivos artísticos se revezam conduzindo seis oficinas diferentes para os artistas locais. Ao final será publicada uma revista, em versão impressa e digital, com relatos da experiência.

A partida da caravana será marcada por uma mostra dos quatro espetáculos que acontece de 03 a 07 de julho, no Teatro Experimental do Pará Waldemar Henrique (Praça da República). A programação em Belém inicia com Pachiculimba (foto), espetáculo-cerimônia do grupo USINA que excepcionalmente acontece na Baía do Sol, na Ilha de Mosqueiro, ao entardecer do dia 03, para um público de 25 pessoas previamente inscrito e selecionado. Depois, já na cidade, sempre às 19h30, serão apresentados Solo de Marajó, no dia 04, Parésqui, no dia 05, e Dezuó - Breviário das águas, em minitemporada nos dias 06 e 07. Para todos estes, a distribuição de ingressos começa sempre uma hora antes de cada sessão, na bilheteria do teatro.

Após cada apresentação haverá o comentário crítico de convidados especiais seguido de conversa com o público, a fim de debater questões relacionadas ao sentido de fazer teatro sobre e na Amazônia. Os convidados são o professor de filosofia Ernani Chaves (Pachiculimba), o ator e diretor Edgar Castro (Solo de Marajó), a atriz, diretora e professora Patricia Gifford (Parésqui) e a atriz, diretora e professora Wlad Lima (Dezuó, apenas na sessão do dia 06).

A partir do dia 09 de julho, a caravana sobre o rio aportando nas cidades de Gurupá (11 a 13 de julho), Breves (15 a 17 de julho), Curralinho (19 a 21 de julho), Cachoeira do Arari (27 a 29 de julho), Ponta de Pedras (31 de julho a 02 de agosto), Muaná (04 a 06 de agosto), Monte Alegre (14 a 16 de agosto), Santarém (10 a 12 e 18 a 21 de agosto), Óbidos (23 e 24 de agosto) e Alenquer (25 e 26 de agosto).

Edgar Castro e Patricia Gifford, respectivamente ator e diretora de Dezuó, vão conduzir as primeiras oficinas da caravana, em Belém. De 03 a 05, Edgar, um ator e diretor paraense residente em São Paulo com passagem por importantes companhias e coletivos teatrais paulistas, vai trabalhar a palavra na cena e, de 06 a 08, Patricia, uma atriz e diretora que atualmente coordenadora pedagógica da Escola Livre de Teatro de Santo André, propõe uma experiência acerca da dimensão pública do ato teatral. Ambas oferecem 20 vagas gratuitas e acontecem de 9 às 12h, na sala de dança da Casa das Artes (Praça Justo Chermont).

Para se inscrever nas duas oficinas ofertadas em Belém basta enviar dados pessoais (nome, idade, contatos de fone/e-mail) e uma carta de interesse pela oficina requisitada para mambembarca@gmail.com até o dia 28. O resultado será divulgado no dia 30.

Nas demais cidades, as inscrições acontecem com apoio das secretarias municipais de Cultura. Haverá emissão de certificados a todos os participantes.

1 visualização
  • Facebook
  • Instagram